quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Sistema de Condicionamento para a NASA

O Sistema de Lançamento Espacial (SLS) da NASA é considerado o maior e mais capaz foguete já construído para missão de exploração humana. Ele está recebendo tamanha atenção pelos ambiciosos objetivos de espedições humanas e pelo investimento em tecnologia para o foguete de aproximadamente US$ 10 bilhões.

Como todo programa de lançamento especial, o trabalho pesado começa ainda em terra, onde os motores de desenvolvimento e qualificação são minuciosamente testados antes do primeiro lançamento. O desenvolvimento do SLS seguiu um protocolo de cinco testes que começou em 2009 e foi finalizado com a qualificação satisfatória do QM-2 em Junho. O teste final contou com 82 objetivos de qualificação. Dentre os mais importantes, estava a avaliação da performance do motor do foguete em sua baixa de temperatura a 4ºC.

A Orbital ATK, uma fabricante de tecnologias aeroespaciais e de defesa, confiou na Aggreko para fornecer o sistema de resfriamento para reduzir a temperatura média do propulsor (PMBT) da temperatura inicial de 22,7ºC para a mais baixa de 4ºC.

Para atender aos requisitos dos testes, a Aggreko ajudou a Orbital ATK a produzir uma solução temporária e portátil para controle da temperatura e geração de energia. No centro do sistema estavam dois chillers de 200 TR’s e duas bombas usadas para fornecer uma solução de propileno glicol a 50% aos air handlers (unidades de tratamento de ar). Três conjuntos de duas unidades de air handlers de 120 TR’s circulam ar frio condicionado para o invólucro. A solução da Aggreko permitiu que uma unidade de air handler distribua ar resfriado enquanto a outra opera em modo de descongelamento. Um air handler adicional desumidifica e resfria o ar externo para manter pressão positiva no invólucro.

QM-2 foi o teste final em solo antes da Primeira Missão de Exploração – o primeiro lançamento do SLS, planejado para o fim de 2018. De acordo com a Orbital ATK, o teste forneceu dados críticos que demonstram que o bocal, a balística e outros parâmetros de desempenho de projeto satisfazem os requisitos na temperatura de projeto de 4,4ºC. O teste anterior de qualificação, QM-1, bem como os testes motores de projeto - DM-1, DM-2 e DM-3 – também utilizaram os sistemas de energia e temperatura Aggreko.