AGGREKO PROVÊ SERVIÇO DE BANCOS DE CARGA EM PARQUES EÓLICOS NA REGIÃO NORDESTE

Bancos de Carga em Parques Eólicos

24 agosto de 2012: Rio de Janeiro, Brazil – A Aggreko, líder mundial no fornecimento temporário de energia, resfriamento de processos e climatização, foi escolhida por uma das maiores empresas independentes de geração de energia renovável do Brasil, DESA – Dobrevê Energia S/A -, para conduzir testes de desempenho nos parques eólicos Morro do Vento, em João Câmara, região Nordeste do país – atualmente uma área muito valorizada nacional e internacionalmente para investimentos em energia eólica.

Desde 2005, a DESA tem feito investimentos consideráveis em projetos para geração de energia eólica e hidrelétrica. Atualmente, a companhia já possui mais de 1000 MW em parques eólicos em diferentes estágios de maturidade, incluindo o desenvolvimento de novos projetos. Nos projetos em que a Aggreko deu suporte, a capacidade foi de cerca de 145 MW.

A Aggreko forneceu seus serviços de bancos de carga para realização de testes nos aerogeradores dos parques eólicos Morro do Vento. Os bancos de carga são capazes de recriar a carga que a fonte de energia irá gerar. Esses testes asseguram que o parque eólico está pronto para conexão ao linhão e, assim, disponível para abastecimento. Uma vez em operação, os 145 MW desse projeto serão capazes de abastecer 180.000 residências, em uma cidade como Natal, capital do Rio Grande do Norte.  

“A Aggreko está apoiando o desenvolvimento do mercado de energia eólica no Brasil, provendo soluções vitais, como bancos de carga, que permitem otimizar os testes nos seus equipamentos”, destaca Diógenes Paoli Neto, diretor-geral da Aggreko para América do Sul. “Por muitos anos, nossos bancos de carga têm ajudado em várias aplicações nos setores mais tradicionais como as indústrias de Manufatura, Óleo & Gás e Naval. Nosso equipamento foi feito para trabalhar com qualquer fonte de energia, nos permitindo ajudar nos testes em todas as tecnologias, sejam elas novas ou antigas”, completa.

Sobre Energia Eólica

De acordo com a Rede de Política Energética para o Século 21 (REN21), em 2010, a capacidade instalada mundial de geração eólica cresceu 24% em relação a 2009, atingindo uma capacidade global de aproximadamente 198 GW. Entre 2005 e 2010, a taxa de crescimento médio anual da capacidade de geração a partir de energia eólica foi de 27% por ano.

O Brasil gera 143 GW de energia por meio do vento, o que é pelo menos 53% da capacidade atual na América Latina – de acordo com a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica).

No final da década de 90, o governo brasileiro finalizou o Atlas do Potencial Eólico Brasileiro com medições a uma altura de 50m acima da superfície terrestre, que estimou o potencial de geração eólica no País na ordem de 143 mil MW. Atualmente, segundo técnicos do Ministério de Minas e Energia, dados apontam que a capacidade de geração eólica do Brasil pode ultrapassar os 300 mil MW, caso sejam feitas medições entre 80 e 120 metros de altura. Tal fato comprova o elevado potencial a ser explorado no País.

A viabilização dessa fonte de geração no País se deu principalmente durante o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (PROINFA), que foi instituído de 2002 a 2010, com o objetivo de aumentar a participação da energia elétrica proveniente de fontes alternativas.

Pela avaliação da  ABEEólica, o Brasil tem 44 parques eólicos em operação, todos construídos com o apoio do PROINFA.  Apesar do grande potencial da energia eólica, apenas 0,5% da energia produzida no Brasil é baseado no vento. Nos últimos dois anos, o governo federal vem construindo 141 novos empreendimentos, que serão entregues entre 2012 e 2013.

Converse com nossos especialistas

Assessoria de Imprensa